28 julho 2009

Do Festival Jota ao Festival Vida



Um festival de música… Cristã… Um festival de verão como outros, em muito igual, em muito diferente. Lá partimos no sábado de madrugada, em direcção a Aveiro, carro cheio, a abarrotar, carregado ainda mais de alegria e imensas expectativas. O montar das tendas, as refeições partilhadas, as maluqueiras, os pulos, os risos, o vibrar com a música, o cansaço que apesar de tudo era vencido pela alegria… houve direito a tudo isto e a muito mais. Ainda partilhámos experiências, em fóruns, em workshops, em orações. Ainda conseguimos cometer “infracções” que afinal não infringiram nada, e lá nos infiltrámos num workshop que não era o nosso, e fomos de barco de S. Jacinto para Aveiro, passear e descobrir. Ainda houveram longas esperas de uns pelos outros. Ainda por momentos nos perdemos uns dos outros. Ainda vimos uma estrela cadente. Ainda conseguimos ser dos mais animados no concerto. Ainda pulámos, dançámos, cantámos, gritámos… Ainda houve um pré-lançamento de CD que parecia destinado a ir parar às mãos da Rita. Ainda fizemos a mega-cadeira humana. Ainda nos rimos mesmo muito. Ainda houveram conversas loucas. Ainda houve um belo de um almoço na praia. Ainda houveram uns belos de uns escaldões. Ainda houveram muito poucas horas de sono (ou melhor, muitas de sono e poucas de dormida). Ainda houveram tantos sorrisos e gargalhadas que não é possível contar. Ainda houveram momentos mais serenos e de reflexão. E com tudo isto VIVEMOS… CRESCEMOS… APRENDEMOS.
E ainda fica um convite, uma entrada gratuita para o festival VIDA, que começa quando queremos, ou quando Deus quer, e não acaba nunca. Vai ter lugar num sítio muito especial: dentro de nós! “Queres vir?”. Ainda é tempo para descobrir e arriscar. O Festival Vida espera por nós, por todos nós….
E no final de tudo, depois de já ter regressado a casa, ainda mais uma das (in)coincidências que tanto vêm acontecendo. Mal tive tempo de chegar a casa eles passaram pela Benedita para me deixar e seguiram viagem para Torres Vedras…) e fui com a minha família jantar a uma festa aqui perto. Esperava esfomeadamente pela comida quando eis que tenho uma alucinação. O Rui Pedro? Não pode ser… ah, mas era mesmo parecido. E… a Inês? (estou a ficar louca, pensei). E a Diana? E o Tiago?!! SÃO ELES! E corri, para ver se era mesmo verdade. E a frase: “Eu deixei-te agora em casa e estás aqui?!” Pois é. Parece que por mais voltas que o mundo dê, ou antes, que nós dêmos ao mundo, acabamos por ir parar sempre ao mesmo sítio. Talvez seja porque afinal caminhamos juntos…
E depois o regresso ao “dia-a-dia”… A quebra monumental, que provoca desconforto interior. Ainda mal acabou e já são tantas as saudades, e tantas e tão boas as recordações, que é nestes momentos que nem sei bem o que sinto. A única certeza em momentos como este é a de querer avançar sem medo, de mãos dadas e a sorrir.
Aprendemos… Crescemos… Ficámos mais fortes. Assim é viver. E é tão bom!

Sei que muita gente não entenderá o porquê de um festival cristão, o porquê de tanta emoção… Mas é sempre tempo de poder descobrir. As coisas que ouvimos e partilhámos foram tão fortes que acho que todos os que estiveram comigo concordam que não as podemos negar. Porque haveremos de ter vergonha de afirmar o que sentimos?
Sei que muitos não percebem isto, mas talvez um dia o venham a perceber. É u sentimento tão intenso que se torna impossível parar. É a paz inquieta… A necessidade constante de procurar mais, e de assim ser feliz. Ser cristão não é apenas ir à missa aos domingos e rezar todos os dias o pai-nosso e a avé-maria. É uma coisa interior, é muito mais do que isso. Uma simples acção ou pensamento podem ser rezar. Rezar não é só aquilo que normalmente é visto como rezar. Ser cristão é ser verdadeiramente humano. É verdadeiramente viver.


26/07/2009

7 comentários:

  1. É um bom sentimento... :)
    É quase impossível de descrever!

    bj*

    ResponderEliminar
  2. oi dreammmm!!!

    posso roubar o texto!!!!
    Gostei tantoooooo

    Beijinhoooo

    ResponderEliminar
  3. 'houveram' não existe pah! :P

    ^^

    ResponderEliminar
  4. Bernardo:
    sim, foi altamente! :)

    Pretty flower:
    sim, é um snetimento muito bom. Inmpossível de explicar... Só sentindo!

    Ritinha, meu amor!: é claro q podes roubar, mas atenção aos direitos de autor! ;)

    ResponderEliminar
  5. pelas fotos e pelo texto, não me importava nada de ter ido!

    ResponderEliminar

Vá, diz qualquer coisinha!
Eu gosto de comentários!
:)